Ir para o conteúdo

Prefeitura de Piratini e os cookies: Nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
OK
Prefeitura de Piratini
Acompanhe-nos:
Rede Social Facebook
Rede Social Instagram
Rede Social WhatsApp
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
NOV
09
09 NOV 2022
Mas afinal o que são as Comunidades Quilombolas?
enviar para um amigo
receba notícias
As Comunidades Quilombolas são grupos com identidade cultural própria e se formaram por meio de um processo histórico que começou nos tempos da escravidão no Brasil. Elas simbolizam a resistência a diferentes formas de dominação. Essas comunidades mantêm forte ligação com sua história e trajetória, preservando costumes e cultura trazidos por seus antepassados. Conforme o artigo 2º do Decreto nº 4.887/2003, “consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos, para fins deste Decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida”.
A chamada Comunidade Remanescente de Quilombo é uma categoria social relativamente recente, representa uma força social relevante no meio rural brasileiro, que também começa penetrar ao meio urbano, dando nova tradução a um leque variado de situações que vão desde antigas comunidades negras rurais atingidas pela expansão dos perímetros urbanos até bairros no entorno dos terreiros de Candomblé.
No município de Piratini existem oito Comunidades Remanescentes de Quilombos, ou seja, pessoas que têm algum parentesco com ex-escravos e que ainda hoje preservam suas tradições e que são detentoras de características culturais peculiares que as distinguem umas das outras e de toda a sociedade circundante, e na sua maioria apresentando semelhanças no que diz respeito ao uso e ligação com a terra onde estão localizadas, pois esta é usada para manutenção na produção de alimentos necessários a sustentabilidade da comunidade e é o local onde os seus antepassados estão enterrados, estabelecendo assim o sentimento de pertencimento a terra, onde as raízes culturais estão fincadas, resistindo às ações do homem e do tempo.
O escritório da Emater/ASCAR de Piratini aplicou diagnósticos individuais e participativos, com objetivo de retratar a realidade dessas Comunidades Quilombolas e apontar as necessidades mais emergenciais dessa população. A Emater/ASCAR também promove ações de Ater nas Comunidades Remanescentes de Quilombos para promover a segurança alimentar e nutricional, o aumento da qualidade e da produção, a organização produtiva, o acesso às políticas públicas e a valorização dos produtos tradicionais da cultura Quilombola.
Piratini conta com oito Comunidades Remanescentes de Quilombos de Piratini, certificadas pela Fundação Cultural Palmares, nesse post temos fotos de 3 delas, Brasa Moura, Nicanor da Luz e Rincão da Faxina.
Seta
Versão do Sistema: 3.2.8 - 16/11/2022
Copyright Instar - 2006-2022. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia